jueves, 24 de febrero de 2011

e no Brasil...

Seria contraditório eu escrever aqui quando não estou mais em Barcelona? Talvez sim... mas, de qualquer forma, tengo ganas de escribir... e também pra deixar registrado como foi a viagem de "volta pra casa".
Parece que ainda estou em Barcelona, e acho que por isso me sinto um pouco "flutuando". Ontem arrumei tudo a tempo, vi o quartinho que fiquei por dois meses... já me sentia em casa! Até florzinha na janela eu já tinha colocado! Enfim.
No táxi que me levou ao aeroporto, cochilei. Assustei quando o motorista falou "Terminal uno, sí?" Achei até graça, e aí falei pra ele "Uff, es que me he dormido!" "No pasa nada", ele disse. Não passa nada! Despachei minhas duas super malas no balcão da Lufthansa e já fui procurar o portão de embarque, no medo de perder o voo. Já no avião, me dei conta de que talvez a Alemanha não seja lá o meu sonho de consumo (isso não quer dizer que não quero ir pra lá... não vou cuspir pra cima!). Percebi que o alemão me irrita. O idioma, quero dizer. O espanhol é tão mais bonito e delicado. Em alemão, mesmo que eles digam "Querida, você pode me dar licença por favor?" parece que estão dizendo "CAI FORA DAÍ!!". Não sei, sounds agressive. E agora entendo porque a alemã ficou PASMA olhando pra mim e perguntou "Ué... não entendo, como você pode ser loira e brasileira?" Como se LOIRA e BRASILEIRA fossem duas coisas incompatíveis, água e óleo. Mas eu entendo ela, coitada. Eu também achava que na Alemanha só tinha gente loira, alta e com olhos azuis, o único detalhe é que eu acertei, hehe. Só tinha loiro (ou branco) com olho claro e uma altura superior a 1,70 no avião. E falando, daquele jeitinho peculiar deles. 
No aeroporto de Frankfurt me perdi por 5 minutos, mas aí pedi informação e logo achei onde tinha que ir. Comecei a pensar... me restavam uma nota de 5 euros, 3 moedas de 1 euro e 3,50 em moedas de 0,10 centavos. Logo, eu tinha 11,50 euros pra gastar. E aí me dei conta que se eu não gastasse ali em Frankfurt, não gastaria mais. Entrei no free shop e peguei uma caixinha de chocolate Lindt e outra de kinder ovo... minha conta? 11,50! No começo eu ia desistir do kinder ovo, porque não queria dar 3,50 em moedas de 10 centavos pra caixa, mas depois comecei a pensar "o que eu vou fazer com meio quilo em moedas? Guardar? Ah não!" Aí lembrei do jargão "vergonha é roubar e não conseguir carregar" e fui feliz entregando todas as minhas moedas ao caixa. Ela também deve ter gostado, eles gostam de troco. Entrei no avião da TAM pra voltar ao Brasil com chocolates, o "New York Times" e uns 10 centavos de euro em moedinhas de 2 cents. As aeromoças falaram comigo em inglês, e uma outra me cumprimentou dizendo "Alô" (que pelo que eu entendi é o "Oi" dos alemães). Aí eu respondi "Oi, tudo bom?" e ela sorriu! Ah, os brasileiros são tão amáveis! Assisti "Julie & Julia" e quando serviram o jantar eu tive a brilhante ideia de pedir vinho tinto. Estava dominada pelo filme, aquelas receitas, vinhos... eu sou um pouco maria-vai-com-as-outras. Eu nunca tinha tomado bebida alcoolica no avião, mas confesso que foi a melhor coisa que já fiz. Minhas pernas não doeram, eu não fiquei enfadada, as pessoas falando não me irritavam e outra, eu dormi como um bebê! Recomendo! Claro, só não vão tomar três taças porque aí é bad... eu tomei duas e fiquei ok. Foi na medida certa.
Acordei e só faltavam duas horas pra chegar em São Paulo. Serviram o café e eu fiquei me sentindo uma gorda, porque no jantar, massa, e no café, pão! Oh, God. No puedo adelgazar! 
Desci em São Paulo e depois de errar 3 vezes o trajeto pra pegar o ônibus pra ir até Congonhas, eu já me sentia brasileira: suava feito uma porca. O ônibus saiu de Guarulhos às 6h, chegou em Congonhas às 7h30. Peguei um táxi em Congonhas pra vir até a casa do Gabriel e foi outra viagem... cheguei aqui às 8h30. Nada como sentir a vida pulsando logo cedo! AH, Brasil... 

Almocei na padaria, arroz, feijão, farofa, ovo frito e salada. "último dia de gorda", porque meu metabolismo é uma senhora de 85 anos. O feijão estava divino, tava morrendo de vontade de comer arroz e feijão!! Nham!

Em São Paulo temos sol, mas o céu um pouco fechado... um pouco de vento e a temperatura em torno dos 23 graus. Aqui, tenho duas malas, uma mochila, sono e um pouco de resfriado. Mas nada que o país tropical não resolva.

miércoles, 23 de febrero de 2011

cuando me fui no me alejé

Meu último dia em Barcelona foi cheio de grandes emoções. Eu me surpreendi, na verdade. A gente se surpreende com as pessoas, do modo como são capazes de se apegar a alguém e dar valor a algo... é muito bonito isso, né? Eu acho. Quando cheguei aqui, não imaginava que ia ser assim. Não imaginava nada. E, de repente, vi que tinha feito grandes amizades aqui! 
Bom, deixa eu parar com essa "lenga lenga" porque ainda tenho toda a viagem de avião pra pensar e refletir, e não posso esgotar tudo agora, algumas horas antes.

Ontem me despedi do pessoal que mais saía junto aqui. Todos os que estão nas fotos comigo mais Nihan e Helin (as turcas malucas) e o Philip (o belga, que foi a primeira pessoa que conversei na escola, gente boa demás da conta!). Na escola eu aproveitei pra sacar uma fotinho né, bem aquela coisa do último dia de aula. A Elena (ela me deu aula no curso de espanhol básico, era com ela que eu tinha classes todo santo dia) foi muito fofa! Disse que tinha sido um prazer ter dado aulas pra mim, que eu era uma ótima aluna, que dava gosto ensinar... ai, fiquei emocionada!! E, de verdade, ela foi a melhor professora ever.  Gracias a ti, Elena!

Da escola fomos num restaurante bem cool almoçar. Dessa vez foi só almoço mesmo, a gente não foi pra outros lugares beber, porque alguns tinham que estudar, outros tinham aula... No almoço já foi emoção pura! A Nihan pegou minha mão e colocou um anel dela no meu dedo... falou que ia dar sorte. E eu não lembro se contei aqui, mas os turcos tem essa coisa com os anéis. Dar um anel pra alguém, colocar o anel em alguém e etc, é todo um simbolismo pra eles. Achei muito bonito! E ela me ensinou mesmo a falar algumas coisas em turco, mas eu já esqueci tudo. Aí tiramos fotos, fotos e mais fotos...
Quando saímos do restaurante já olhei pra todo mundo e falei "Well, this is goodbye!". Falei pra todo mundo dar um abraço rápido porque era capaz de eu desistir de ir embora!
A Michelle tirou o lenço que estava usando (um lenço lindo, lilás) e colocou no meu pescoço, falou que era a cor favorita dela e que era pra eu lembrar dela sempre. Ah! Tá me zuando, né irmão?  Aí eu já queria chorar mesmo! E não é que a bixinha chorou? 
Era o relógio dizendo que era hora de ir embora...

Só a Hilda (uma das brasileiras, que também ficou com o probleminha das outras e me deu um chaveiro) tinha tempo livre pra tomar uma cerveja, e então fomos num bar ao lado da catedral, e melhor vista não poderia existir. Ficamos lá conversando um tempão, foi muito bom! Ela falou da amiga dela (a que acenava pra mim nos primeiros dias de aula e só falava em português), e demos risada lembrando disso. Ah, eu falei a verdade, que fugi da amiga porque ela só falava em português e eu não tava a fim, hehe. Es lo que hay!
Do bar tive a ideia brilhante de ir em uma panaderia maravilhosa comprar um pão que comi ontem. De nozes, integral, ótimo! Meu penúltimo passeio foi no bairro gótico, acho que o bairro que mais gostei aqui de Barcelona. 

À noite fui com Leca, Mau e Carol ao Paradeta (o restaurante de pescados e frutos do mar fresquinhos, você escolhe o que quer comer e eles pesam na hora e fazem). Fechar com chave de ouro, né. Mas pra fechar mesmo foi olhar a Sagrada Família à noite, com os vitrais coloridos... sentamos num banco em frente e disfrutamos do que Gaudí nos oferecia. Gracias, Gaudí!

Bom, durante esse meu tempinho aqui, fui recolhendo lugares e coisas que colocaria no meu TOP 10 Barcelona (Madrid, Lisboa e Porto também), e agora que me restam algumas horinhas antes de ir embora, acho que me sinto segura pra revelar o top 10 (acho que não vou ver nada de tão estupendo assim no aeroporto). Aí vai:

  1. Palau de la Música - Gran concierto de año nuevo (Strauss Festival Orchestra)
  2. Sagrada Família
  3. Vall de Núria
  4. Ver "Guernica" ao vivo
  5. Telefèric de Montjuic
  6. Baños árabes
  7. Pastel de belém original direto do forno português
  8. Castellers
  9. 1a paella
  10. sushi feito em casa
É claro que esse TOP 10 poderia ser facilmente transformado em um TOP 50... e é claro que eu tive que me esquecer por um instante de tudo de maravilhoso que comi aqui porque senão seria um TOP 10 só de comidas. Aí entraria a alcachofra fritinha, a paella negra, o Paradeta, o vegetariano de Madri, o vegetariano de Grácia... ai meu Deus, é muita coisa boa!!
Obrigada, Barceloca, por ter feito sol na maioria dos dias em que estive aqui (pensando bem até os dias chuvosos e gris tiveram seu lado positivo), por ter tantos chicos guapos na rua, pela arquitetura maravilhosa, pelos prédios com terrazas e flores, muitas flores... Obrigada pelos ótimos bancos no Port Vell e na Barceloneta, em que aproveitei pra sentar e observar, escrever... Obrigada pelas Ramblas, loucas logo pela manhã, em que passava todo santo dia. Obrigada pela Ferran, lotada de turistas, chinos, paquis, indianos, alemães... Obrigada pelas rebajas e pelos táxis superbaratos! Obrigada pelos encantamentos escondidos numa esquina ou no metro. Obrigada pelas pessoas maravilhosas que conheci aqui. Obrigada pelo céu pintado com a mão. 
Ya te echo de menos, Barcelona.  Fito Paez conseguiu expressar um pouco o que eu quero dizer agora:

Yo te conozco de antes
desde antes del ayer
yo te conozco de antes
cuando me fui
no me alejé
llevo la voz cantante
llevo la luz del tren
llevo un destino errante
llevo tus marcas en mi piel
y hoy solo te vuelvo a ver


Adéu, Barcelone!

domingo, 20 de febrero de 2011

É... é verdade o ditado do "tudo que é bom dura pouco"! Ahora lo veo!
Mas tudo bem, porque acho que se eu ficasse mais aqui, ia voltar pro Brasil uma baleia. E agora só estou uma "mini-baleia", acho que vai dá pra work on it rapidinho... vou precisar!

Quinta saí com o pessoal da escola, o mesmo pessoal da semana passada. Fomos almoçar e depois tomar umas copas no Ryans (já viramos clientes do bar)... de lá fomos no PIM PAM BURGUER comer umas batatinhas fritas (e eu pedi um hamburguer vegetariano).. depois não sei porque engordei tanto, mas tudo bem! "Senta lá, Cláudia!"
Nesse dia, sonhei que ia ver as fontes mágicas. Acordei com uma sensação estranha, cansada... ontem fui ver as fontes (acordada!) e, pasmem, era a mesma coisa do meu sonho! Ai, que legal isso, pude ver a mesma coisa duas vezes! Vejam só o que o sono útil pode nos proporcionar, até turismo!

Eu e Leca desenvolvemos uma prática de falar espanhol entre nós, o que tem tornado minha fluência um pouco melhor. Pena que logo agora que tô melhorando, tô voltando pro português...
Sexta feira nasceu outro nenê, a Jana, filha da Cris e do Mark. Jan & Jana! Fiquei tão feliz de ter podido ver os dois antes de ir embora! Tive que engolir o choro, não sabia que ia ficar tão abestalhada ao ver um bebê... fiquei imaginando quando for o bebê da Leca e do Mau, ou o meu... aí eu choro mesmo. Saio de fininho, finjo que entrou um cisco no meu olho e deixo a emoção fluir... só não chorei no hospital com as duas visitas porque iam me chamar meio esquisitinha. 

Ontem fomos até a casa da Sam, comer tapas, beber umas copas e jugar! Karaoke, mariokart, crazy drums, guitar hero... ri muito, adoro o multiculturalismo.
O Alex (alemão) fez um mousse de chocolate com Bailey's DI-VI-NO! E o Jon fez um quiche, mas tinha jamón e por isso não comi.. mas tava cheirando ótimo!
De lá, eu e Michelle fomos pra Magic (a boate-rock). Tava lotado, mas ótimo! Voltei pra casa às 6h e lembrei da minha adolescência... fazia tempo que não saía tanto e não voltava tão tarde. 10h Leca veio me acordar pra irmos pra Calçotada (é um churrasco de calçots, que é tipo um cebolão, bem típico da Catalunya). Claro que eu me quebrei, né. Tive que tomar um café bem forte e fingir que não via a cama... no fim das contas acho que isso é bom, assim durmo no avião. 

Bom, vamos lá, rumo ao penúltimo dia de aula de espanhol.
Vai ser estranho acordar e não ter que pegar o metro até Jauma, andar pela calle Ferran e subir as Ramblas até chegar na escola... 

viernes, 18 de febrero de 2011

últimos días

Ontem encontrei mais um colocado pro TOP 5 BARCELONA: Aire de Barcelona.
É um lugar de baños árabes. Um spa, digamos assim. Maravilhoso, chiquérrimo, me senti uma famosa. Ganhei até massagem! Piscina quentinha, piscina gelada (15 graus, achei que ia morrer de hipotermia), piscina quente (40 graus), sauna, hidromassagem... um luxo! Amei o presente. Leca, muchíssimas gracias! 

Ela fez o maior suspense. "Vamos num lugar amanhã. Tem que levar biquini". Aí eu fui perguntando, pra ver se adivinhava pelo menos uma pista... "tem bebida?" "tem comida?" "tem música?" "Não tem comida, e só tem um tipo de bebida" "Porra, que lugar é esse?" 
Daí primeiro fomos jantar no Udon, comida japonesa. Tomamos saquê e tudo, porque gente chique é assim mesmo. Aí fomos lá pro lugar misterioso. A jacú aqui já perguntou "pode tirar foto aqui dentro?" logo que entrou, hahah mas o lugar é tão amazing! Voltamos pra casa e foi o melhor sono ever. 
Na verdade, ontem foi um dia muito produtivo. Comprei uma blusa da Desigual (que é cara, by the way) por 9 euros. Eu fico tão feliz quando compro coisas baratinhas! Mas antes disso (desculpa, minha ordem cronológica foi pro espaço), almocei no FresCO por 9 euros (ontem foi o dia do número 9!), comi salada, tomei sopa e peguei uma banana pro lanche. Adoro quando posso levar as frutas do restaurante pra casa. Me sinto economizando!
Aí resolvi que ia fazer alguma coisa que não tinha feito. Fiquei pensando e comecei a ficar meio deprimida, contando os dias que me restam... aí decidi que não decidiria. Iria andar "sem rumo". Engatei o mp3 (velhinho, coitado, mas é minha melhor companhia-não-física) e fui... desci as Ramblas e fui até a Plaza Catalunya. Logo avistei a FNAC. Ah, não podia deixar de entrar né. Rodei lá dentro uns 40 minutos, mas parei mesmo nas prateleiras de "Espiritualidad". Não achei nada do Chico, fiquei pasma. Mas tudo bem, vi várias coisas interessantes. Da FNAC andei mais um pouco, e pensei "ai, um café do starbucks me tiraria a vontade de comer um doce", porque eu tenho essas crenças falsas mesmo. Aí virei a esquisa e PUM! Um starbucks!! Valeu aí, irmão! Entrei e comprei um capuccino. Fui sentar do lado de fora (nem tava tão frio) e terminei de ler o livro que a Leca me emprestou "A garota das laranjas ". Me gustó mucho! De lá continuei andando... provei sorvete de graça, dei risada com os cachorros que são iguais aos donos e com os artistas das Ramblas... e fui parar no Parque de la ciutadela. I love this place! Me sentei ao sol, li meu jornal, comi minha banana... Ah, Barcelona, no quiero dejarte!

Ah, já decidi que vou faltar na minha segunda-e-última aula de Gramática. Voy a hacer campana! uhul! 

Ah (2)! Hoje nasceu Jan, o filho da Júlia, amiga da Leca. 
Bienvenido, Jan! Mañana vamos a verlo. Que chulo!

martes, 15 de febrero de 2011

Me cansan los imperativos. Uff! 

Estava estudando mas desisti um pouco. Só um pouco. Quanto mais os dias passam, mas cresce a minha lista de coisas que quero fazer em Barcelona e ainda não fiz. 2 meses é pouco, muito pouco. Ainda tenho que:

  • ir ao museu Picasso
  • ir ao museu da Música
  • passar uma tarde sentada no parque de la ciutadela (de novo)
  • comprar um livro em espanhol
  • arrumar um homem que cozinhe, fale no mínimo 3 línguas, cuide do jardim, das crianças, que dance bem, seja vegetariano, bonito, engraçado, inteligente e yogue.
Viu como 2 meses é pouco?

Mas, voltando à vida real, tenho duas espécies de dias aqui: em uma delas, me sinto como se morasse aqui há anos, sinto que conheço todas as ruas, me dou bem com as pessoas, e não me sinto só uma turista, porque não me surpreendo tanto quando ando na rua (digamos que é uma surpresa diferente. Eu paro e de repente me dou conta "Nossa, eu não estou no Brasil!". Na outra espécia de dias, eu me surpreendo com cada folha de árvore, com cada franja curtíssima-estilo-passarinho das mulheres (nunca mais vou reclamar da minha), com cada cheiro, esquina, poste... fico praticamente uma retardada mental tirando fotos das janelas. 
Claro que existem dias em que esses dois estados se mesclam, e é claro que é porque a maioria dos meus dias aqui é como a de um cidadão qualquer da Catalunya: eu pego o metro, vou ao mercado, à farmácia (hoje foi o primeiro dia que comprei medicamentos em espanhol, foi tão emocionante)... de vez em quando eu me assusto quando penso que vou voltar. Ao mesmo tempo que é bom, é ruim, ao mesmo tempo que vai ser acolhedor estar de novo no meu país, aqui também já é acolhedor pra mim... 

Barcelona trouxe mais uma surpresinha pra mim: uma vontade incontrolável de ir pra Índia. Acho que é porque algumas coisas do "mundo moderno" tem me cansado. Já me falaram que lá tem barata demais, que fede demais, que tem gente feia demais, que é um Brasil piorado 10 vezes, que é precário, que a comida é apimentada, que a água é contaminada, que, que, que, que... mas eu quero ir pra lá e ver com os meus próprios olhos. Quero meditar naqueles templos igual à Julia Roberts no "eat, pray, love"
Aí quem sabe eu não crio outro blog "Índia, as baratas e a meditação"...

Bom, volto aos imperativos...

lunes, 14 de febrero de 2011

Ontem fomos até a Plaza San Jauma assistir a uma apresentação de Castellers. É uma tradição na Catalunya, várias pessoas se reúnem e montam as chamadas "torres humanas". É emocionante assistir, é a prova viva do ditado "a união faz a força"! Tirando que os castellers tem uma maneira peculiar de se cumprimentar... heheh

O fim de semana foi bacana, tirando a trampa do sábado. Fui parar em uma boate que fica perto da praia (ou seja, super pop), onde a bebida era caríssima, a música altíssima e as pessoas esquisitíssimas. Ok, eu exagerei, mas não tava na vibe de ir pra uma boate-old-style. E, realmente, como o som é alto! Me senti uma velha. E como a música é repetitiva! Não dá pra dançar, nem conversar, nem nada, você só consegue mexer seu corpo desgovernadamente. Fingi que meu celular tinha tocado e que minha irmã tinha me ligado (hi-5!) dizendo que uma amiga tava indo pro hospital ter nenê. O que não é de todo mentira (só o fato de que ela estava tendo o bebê). Nunca foi tão bom estar em silêncio.

Na sexta fomos na Magic, uma boate gente fina que só toca música boa. Aí sim, né colega!

Acho que Barcelona, especialmente nesses últimos dias (literalmente) tem me deixado mais reflexiva (é essa a palavra?). É, mais ainda. Se eu já penso e reflito normalmente, imagina agora. Vixe! Mas aí, no auge da relfexão, voltando pra casa, passei em frente ao paqui e vi as frutas... na verdade o kiwi. Tão lindo lá, sozinho. Tive então a brilhante ideia de fazer uma salada de fruta. Vai ver que é isso que eu tô precisando! 

A propósito, hoje é 14 de fevereiro, dia de San Valentín. Ainda me restam algumas horas. Quem sabe até lá eu não sou surpreendida por alguém que não seja um kiwi?

viernes, 11 de febrero de 2011

Meus dias em Barcelona estão chegando ao fim. Meu dinheiro também. Mas não quero falar sobre isso. 


Ontem foi aniversário da Tricia (a ex-aeromoça de Cingapura, que me ensinou tudo sobre o horóscopo chinês) e ela convidou algumas pessoas especiais (sim, eu fui uma delas! ufa! isso significa que meu inglês não está tão mal assim) pra ir almoçar. Foi muito bacana, conversamos sobre a vida, Barcelona, Brasil, Londres... e comemos uma comida muy buena. Depois tivemos a brilhante ideia de irmos ao Passeig del Bourne (uma rua que tem vários barzinhos e é bem legalzinho), sentar ao sol, beber uma cerveja e continuar conversando.
A cada bar diferente que entrávamos (fomos em 4, no total) o assunto ia ficando mais sério, por incrível que pareça. Quando finalmente estávamos discutindo política e sobre o governo de cada país, alguém disse "Ops, this is too serious!". Largamos a política, o bolsa-família do Brasil, o dinheiro que o governo britânico dá aos "desocupados" e etc e tal e resolvemos falar de música. Fomos parar no mesmo pub que fui com os ingleses da outra vez (parece que os ingleses gostam mesmo desse lugar). Pedimos nachos, claras (cerveja com limonada) e ya está. De repente soou um sino. CHUPITOS FOR FREE! Você pode beber uma dose de qualquer chupito (é um aperitivinho, geralmente um licor) de graça. Novamente, cavalo dado não se olha o teor alcoólico. Os chupitos iam bem, mas eu prefiro tomar uma clara mesmo. 

Hoje me aconteceu algo inédito. Ontem eu cheguei em casa tarde, tive que tomar banho E fazer os deveres pra aula de hoje... ou seja, fui dormir um pouco tarde. Hoje levantei muy temprano, a las 7! Cogi el metro, desayunei rapidamente um croissant (a vida não é fácil não, maluco!). Cheguei em casa, fiz um almocinho pra mim e pro Maurício e decidi assistir um seriado.. pensei comigo "é bom porque assim já faço uma siesta antes de ir na academia" (sim. eu tinha planos de ir à academia) Mas eu assisti "Misfits", e Misfits é muito bom, e eu não consegui pregar os olhos um segundo! Ok, fui pra academia. Malhar o culo pra poder comer crepe à noite (já desisti do regime, tô só fazendo uso da lei da compensação). E, bem, me aconteceu algo raro: cochilei por uns 30 segundos fazendo bicicleta... Eram 5 da tarde, a academia estava vazia, eu estava ouvindo Rob Thomas no mp3, pensando na vida... cochilei. Cochilei e só percebi porque quando abri os olhos a velocidade da bicicleta tinha caído de 70 pra 30. Disfarcei pra ver se não tinha ninguém olhando, troquei de música e fui correr na esteira. "Meu Deus, que ninguém tenha visto isso" 

Falando nisso, melhor eu ir dormir. Amanhã é às 7 de novo, pra uma aula de Gramática! Adios, mis amores.